sexta-feira, 23 de julho de 2010

Não sei fazer versos.


Meu coração que não me deixa em paz,
que não para de olhar pra trás,
mas é só saudade mesmo,
saudade de tudo que tive por perto,
do que sonhei e até do que chorei,
saudade de mim antigamente,
saudade que tem nome,
cheiro, lugar e rosto,
saudade dos meus visinhos amigos e parentes,
saudade dos quinze,
saudade que me fez chorar de desgosto,
de tudo que eu não sabia que iria aprender,
hoje tem cor sabor e gosto...
Saudade também do que quero ser.

Um comentário:

Poemas e Amizades disse...

Hellen,
Eu vi esse texto e percebi que é um belíssimo poema, cuja forma seria esta:
"Não sei fazer versos

Meu coração que não me deixa em paz,
que não para de olhar pra trás, mas é só saudade mesmo,
saudade de tudo que tive por perto,
do que sonhei e até do que chorei,
saudade de mim antigamente, saudade que tem nome,
cheiro, lugar e rosto,
saudade dos meus visinhos amigos e parentes,
saudade dos quinze, saudade que me fez chorar de desgosto,
de tudo que eu não sabia que iria aprender,
hoje tem cor sabor e gosto...

Saudade também do que quero ser."
Um poema maravilhoso, aliás. Parabéns.
Um abraço
Lello