quinta-feira, 10 de março de 2011

Fofoca de artista global


Gente de Deus!! Pirei!!
Sabe a Paola Oliveira, a tal Marina de insensato coração que roubou o noivo da melhor amiga no altar? Sim, a mocinha da novela, que provocou indiretamente a morte da coitada, então, puts eu to passada e engomada com a historinha da moça.
Quanto azar! A moça como todos sabem faz a protagonista, sua primeira no horário nobre da globo, tudo por um golpe de "sorte", ela pegou o papel depois que a Ana Paula Arózio, desistiu do trabalho, seria sorte, o ano dela como ela anda dizendo? Será?
Acontece que mais ou menos um mês atrás eu a vi numa chamada de capa de uma revista de fofoca dizendo: "Eu não roubei o marido de ninguém!" Eu pensei: a a mulher ta louca, confundindo a personagem com ela mesma, engano meu...
Lembram da Thaís Fersoza, 27 anos, fez malhação, e atualmente está no ar em o clone como Telminha, em vale a pena ver de novo?
Então, a menina namorava a 5 anos, morava junto, estava praticamente casada com o ator Joaquim Lopes, de 31 anos, casaram-se com toda pompa e circunstância em abril de 2009, e na volta da lua de mel, um mês depois, ainda no aeroporto, o moço terminou com a menina, e um tempo depois assumiu o namoro com a Marina Paola Oliveira, que o mesmo havia conhecido um mês antes do seu casamento durante a gravação do filme "uma professora muito maluquinha" que os dois gravaram juntos.

"Uma emoção de tirar o fôlego!" Assim definiu Joaquim Lopes, no dia 17 de abril, seu sentimento ao ver Thaís entrando vestida de noiva na igreja São José, em São Paulo, ao som de "Something", dos Beatles.
  Durante a celebração de conto de fadas com mais de 4 mil rosas brancas em meio à luz de velas. A noiva exibia um deslumbrante vestido de cetim e renda italianos e um véu de tule francês de três metros com mais de 2 mil pontos de luz, reflexo dos cristais austríacos do estilista George Moreira.

  Segundo Thaís,  Joaquim alegou na ocasião que não estaria preparado para levar uma relação estável. E que não teve coragem de dizer isso a ela antes da cerimônia. Ainda abalada, (em 2009) a moça declarou à TITITI, procurando não prolongar o assunto: "Sou uma mulher que sempre deu e vou continuar dando muita importância aos valores de uma união, aos valores de um casamento. Mas, infelizmente, existem pessoas que não estão nem aí para isso, não ligam".

Com tudo isso eu chego a conclusão que foi muito azar, um tapa na cara da Paola que infelismente pegou uma protagonista que trouxe a tona um assunto que muito provavelmente a moça quer esquecer, e aí será que na vida real ela seria a mocinha? A arte imita a vida.


2 comentários:

Poemas e Amizades disse...

Infelizmente, o mundo dos atores é bem mais atormentado que a imaginação das pessoas poderia alcançar. Traições são comuns, o nível moral é muitas vezes muito baixo. Esse caso da Paola traz à tona apenas um episódio.
Às vezes eu penso que a vida não imita a arte, nem a arte imita a vida. Às vezes eu tenho certeza que é plágio descarado. Os diretores e roteiristas, que estão por dentro de tudo que acontece na vida dos artistas, simplesmente passa isso para o papel...
Estou errado?
Beijo carinhoso...
Lello

Hellen Dayane disse...

É verdade, nunca tinha pensado por esse aspecto. Faz todo sentido.
Bjos!!
;D