sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Escrever por escrever...

Depois de um breve momento de inspiração resolvi escrever aqui, mas parece que o mundo conspira pra eu me manter retida dentro de mim, pois ao tentar por diversas vezes abrir a página de postagens do blog, a internet caiu, uma, duas, três vezes... até que finalmente e não tão discretamente o que eu pensei em escrever me deixou no escuro...
Mas a tal inspiração teima em procurar por mim, quando estou tentando dormi, e sem ânimo para levantar e escutar o que ela diz... Continuo aqui, procurando e fugindo dos meus pensamentos insanos, mas de loucura em loucura se constrói as coisas mais belas. Será?

11 comentários:

Paula Baiadori disse...

Olá,
O agBook, da AlphaGraphics, publica livros sob demanda de forma fácil e totalmente gratuita. Para publicar, basta acessar www.agbook.com.br e efetuar seu cadastro.
O principal objetivo do agbook é apoiar novos escritores brasileiros e ainda oferecer todas as técnicas para que o autor não somente publique o seu livro como também o promova de maneira eficiente.
Coloco meus contatos à disposição para qualquer dúvida pbaiadori@alphagraphics.com.br
Abraços.

Haylla disse...

Flor, como esta lindo aqui!!
Você é um luxo em.
Vou te seguir viu?
Xerinho bem grande e ótima Quarta ^^

Bárbara disse...

Olá Hellen!
pelo visto vc está num momento de busca de inspiração,
então fica uma dica minha leia o livro Os Pilares da Terra de Ken Follett. É um best seller muito aclamado, eu sou um pouco receosa em relação aos best seller, porém esse é maravilhoso.
Não sei se esse livro vá te agradar, ou seja do gênero que vc aprecie mas é extremamente interessante. Há também uma série inglesa baseada no livro chama: The Pillar of the Earth.
ahhh
Não sei o gênero de livro que vc aprecia, mas vá lá outro palpite meu.
O Burro de Ouro de Apuleio; Satíricon do Petronio, ambos obras latinas muito boas.
O Fantasma de Luis Buñuel - Mª José Silveira, autora brasileira. Obra muito boa.
O Banquete de Platão para uma definição do Amor.
Beijocas

Hellen Dayane disse...

Bárbara querida!!
Obrigada pelas dicas, amo, amo muito dicas de livros, e assim, eu gosto de livros bons, só não consigo ler esses tipo Hary Poter, embora algumas pessoas não entendam, e como você disse é uma questão de estilo, e eu tenho certeza que quanto a isso nós vamos nos identificar, eu acabei de ler uma agora, olhai os lírios do campo, mas não gostei muito, agora estou lendo cem anos de solidão, to ammando, você conhece?
Mas obrigada mesmo, assim que eu puder vou comprar todos e vou te dizendo o que achei.
Bjos.
;D

Bárbara disse...

Oi Hellen!
Sim conheço Cem anos de Solidão é do Gabriel García Marquez, para mim um dos melhores.
o Olhai o lírio dos Campos eu não conheço não.
Os Pilares da Terra não é como Harry Potter não, ele é um romance que se passa na Inglaterra na Idade Média.
A edição dele aqui em Portugal foi feita em 2 volumes, eu ainda estou no 1º. Só tem duas semanas que comprei o livro, mas ele me prendeu duma maneira incrível, veja a série também, está muito boa.
Há um autor português que eu gosto muito é o Eça de Queirós.
As duas obras latinas que falei, são engraçadas, O Burro de Ouro fala um pouco de magia, mas em relação aos cultos de mistérios antigos, é engraçado pq o personagem principal se transforma num burro e passa ver o mundo no olhar dum burro.
A segunda é uma sátira, é um pouco pornográfica, rs.

Hellen Dayane disse...

Eu já até pesquisei um pouco sobre eles, os preços e tal, vou comprrar os mais baratos primeiro, rs
E ó, pode me dar todas as dicas do mundo sobre livros. Amo!
Ah eu nunca li Eça de Queiros, mas conheço os maias, por conta da série da globo, óbvio que não é a mesma coisa, e eu tenho muita vontade de ler as obras dele.
Bem, meus livros preferidos, são cisnes selvagens de Yung Chan, uma escritora chinesa, o livro é perfeito, a insustentavel leveza do ser, médicos de homens e de alma, confissões de Sto Agostinho, todos do Machado de Assis,ah e apesar de ser modinha e tal, o caçador de pipas e a cidade do sol, são lindos, acho que nunca chorei tanto na minha vida quanto quando li a cidade do sol. Enfim, adorei a troca de figurinhas.
;D
Bjos!!

Bárbara disse...

Olha só uma advogada que gosta de Santo Agostinho, eu também admiro As Confissões.
Enfim, do Eça eu já li A Relíquia, e O Primo Basílio,
O Machado de Assis é quase obrigatório né, eu também gosto muito.
Ah sim vou procurar o livro da autora chinesa, por acaso nunca li uma obra asiática, deve ser interessante.
Eu comecei a ler o Caçador de Pipas e gostei.
Outro legal também é A menina que roubava livros.

Lila disse...

É por isso que normalmente eu rascunho tudo no bloco de notas e depois colo aqui. A conexão já me fez perder postagens das quais eu gostava muito. Tomo cuidado pra que isso não venha a se repetir...
E inspiração vc sempre tem. Acho que é mais questão de conciliar um desses bons momentos com

Hellen Dayane disse...

Lila, não poderia ter sido melhor explicado, ficou claro que vc não rascunhou pra postar o comentário.(rs)
Bjos!

Poemas e Amizades disse...

Oi, Hellen, boa noite!!
Ah! Essas terríveis tramas contra nossa criatividade! Computadores que não entram, net que cai, energia que falta, luz que se apaga, sono que reclama a hora que afinal é dele... Ainda assim, somos tão loucos pelo que fazemos, que aí está um texto seu para dizer que não há textos seus, e explicar porquê não há textos seus!
Ninguém pense que todos os escritores são doidos! Não é isso... É que alguns doidos são escritores.
Um beijo carinhoso
Lello

Sandra Mara. disse...

Hellen, querida.
Eu me identifiquei com essa sua postagem. Estava passeando por aqui, com a intenção de dar ao meu feriado um quê de descanso, aliviá-lo do estigma de livros e visitas ao hospital, quando me deparei com as suas palavras. Nesse meio tempo, pela primeira vez um muitos meses, visitei meu folhetim e vi seu rostinho e suas palavras por lá. Fiquei muito feliz com o que eu li; há poucas coisas no mundo que eu goste mais do que escrever. E nos últimos 4 anos, pouco tem me sobrado além de vontade de escrever, documentos do word salvos com mil ideias e zero textos e um sentimento de vazio sem fim, que eu não conseguiria explicar. Penso todos os dias sobre o quanto me dói ficar longe das palavras (lidas, escritas, imagindas), mas não há muito o que eu possa fazer sobre isso agora. :(
Um beijo imenso! Muito bom te ler por aqui.