quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Peculiaridades?

 Escute Hellen, por que a pressa? Por que a ânsia? Será mesmo preciso ser tão passional? Tente ser mais cautelosa, afinal o que diria sobre seus ímpetos Baltasar Gracian? O que pensaria Erasmo de Rotterdam? Se você não liga então por que os lê?
 As vezes fico pensando se todas as pessoas do mundo se auto sabatinam, ou se sou mesmo louca, a verdade é que tenho todas as respostas antes mesmo das perguntas se formarem; talvez esses questionários são para saber o grau de conforto para comigo mesma, desde que descobri que personalidade não é destino, venho tentando ver se tenho conserto, mas, devo confessar que estou feliz comigo. Esse meu jeito louco de ser me tirou o sono tantas vezes, e como amo dormi, resolvi que isso é charme meu, tipo, dizer o que penso e principalmente o que sinto, o que quero não é pra qualquer um, embora todos juram que ser contido é tarefa árdua. Admito que admiro pessoas calmas, contidas, equilibradas, que conseguem ficar impassíveis diante do pior insulto, e eu só os admiro pelo fato de não saber como eles conseguem.
 Tenho pra mim que sou caso perdido, não me imagino não defendendo a ferro e fogo aquilo que acredito, mas, ao longo do tempo também aprendi que nem tudo que se pensa deve ser exteriorizado, embora quando minha boca me obedece, minha expressão me entrega. Agora também consigo ficar calada e até dissimulada, diante de filosofias que vão contra tudo aquilo que acredito; mas pelo amor de Deus não venha me dizer do que devo gostar, que roupa usar porque esta na moda, que música ouvi, só porque quem canta é um ícone, ou que filme admirar porque seu diretor é aclamado, e se quer saber nunca li Paulo Coelho, e é provável que jamais leia.
 Para as outras pessoas eu não sei, mas para mim, meu pior defeito é não saber mentir, morro de medo de me trair, e como isso as vezes faz falta; minha melhor qualidade eu ainda não sei, porque tenho tantas, mas creio que a modéstia possa encabeçar a lista; minha excentricidade, pra quem tem dificuldade de notar é mudar de assunto no meio do assunto; minha hora favorita do dia, é o final da tarde; minha cor o xadrez, minha angustia a saudade; minha dor meu jeito impulsivo de ser; minha alegria meu jeito transparente de ser, minha felicidade saber quem sou, com todas as dores e delicias, com oscilações de todos os tipos. Enfim, ainda não sei pra onde vou, mas ao menos conheço três possibilidades, embora a terceira não ouso mencionar, e algo em mim me diz que meu caminho jamais será esse.

2 comentários:

André Góes disse...

... você não está sozinha... :)

Cris de Souza disse...

Evoé !
(Obrigada pela visita)